Jorge Rita - Editorial

2018 tem de ser um ano melhor para a Agricultura Açoriana | Editorial Agricultor 2000

Estamos mais uma vez a finalizar um ano que não foi bom para o setor agrícola regional, uma vez que os rendimentos dos agricultores não foram o que deveriam ter sido, como no caso do setor do leite, onde a evolução positiva e consistente dos mercados dos produtos lácteos internacionais, não se repercutiram no preço de leite pago à produção duma forma justa, equilibrada e de acordo com as expectativas legitimas que os produtores tinham.

O baixo rendimento dos agricultores é para a Associação Agrícola de São Miguel uma preocupação constante e que nos orienta na reivindicação séria e responsável que é feita, e não podemos concordar que os agricultores sejam prejudicados face a outros setores económicos, o que aliás, está bem demonstrado na última comunicação da Comissão Europeia sobre a nova Politica Agrícola Comum, onde está evidente que os rendimentos dos agricultores europeus, mesmo com a inclusão dos pagamentos diretos, estão ainda muito aquém dos salários na economia global, sendo esta realidade ainda mais acentuada no caso nacional e no caso da região, atendendo às nossas especificidades, a desigualdade ainda será maior.

Esta é mais uma prova que as atuais ajudas aos agricultores europeus não são suficientes por ainda não permitirem equilibrar os rendimentos dos agricultores com os restantes setores económicos, pelo que, a atividade que o agricultor desenvolve no meio rural com vantagens económicas, sociais e ambientais para a sociedade, ainda não está devidamente compensada.

O Governo dos Açores não pode alhear-se desta realidade e tem de tomar as medidas adequadas capazes de minorar esta situação, nomeadamente, cumprindo os compromissos assumidos com os agricultores e suas organizações, mas, perante o plano e orçamento apresentado, existem somente boas intenções, porque os meios financeiros alocados ao setor agrícola, são escassos e dificilmente serão capazes de satisfazer as necessidades.

Os agricultores Açorianos estão habituados às dificuldades que têm atravessado o setor agrícola ao longo do tempo e só com a sua resiliência, querer e vontade em acreditar num futuro melhor, é que tem sido possível, ultrapassar os obstáculos que surgem pela frente.

Neste período natalício e de final de ano renovam-se as expetativas e aguarda-se que 2018 seja um ano melhor, capaz de responder aos anseios e desejos de todos.

Desejamos a todos os associados e suas famílias um feliz natal e um próspero ano novo.

Os Agricultores dos Açores merecem mais

O nosso leite tem de ser mais bem pago

XVII Concurso Micaelense da Raça Holstein Frísia

É urgente a criação de um calendário indicativo das ajudas regionais à agricultura

A fileira do leite necessita de uma estratégia clara e bem definida

2018 tem de ser um ano melhor para a Agricultura Açoriana

IV Concurso Micaelense Holstein Frísia de Outono - uma mostra da excelência dos nossos animais

A vinda do Presidente da República à Associação Agrícola de São Miguel é um sinal de confiança nos Agricultores Açorianos

O discurso dos milhões que se revelam tostões

O sucesso da Agricultura Açoriana passará sempre pela existência de organizações de produtores fortes

Um dos melhores leites do mundo é o mais mal pago da Europa

Uma Santa Páscoa

Mercado Agrícola de Santana: Mais um objetivo atingido

A indústria deve ter um comportamento justo e aumentar o preço de leite à produção

A base da economia dos Açores é e continuará a ser a Agricultura

Próximo Governo Regional deve encarar o setor agrícola como prioritário

Pagamentos por conta: Uma grande injustiça

O futuro da Autonomia dos Açores depende duma Agricultura forte e sustentável

Não desistimos de encontrar soluções satisfatórias para os produtores de leite

Prémio Nacional de Agricultura 2015 para a Cooperativa União Agrícola reconhece o trabalho feito em prol dos agricultores

Confiança num ano melhor