Jorge Rita - Editorial

A pandemia do covid-19 veio demonstrar a importância da Agricultura na sociedade | Editorial Agricultor 2000

A pandemia provocada pelo covid-19 trouxe ao mundo uma nova realidade incerta e da qual por muito que se debata e analise, não existe uma previsão clara e objetiva do que vai acontecer realmente no futuro próximo, uma vez que muitos dos nossos comportamentos, irão se alterar devido aos acontecimentos que têm ocorrido nos últimos meses.

No entanto, há uma certeza absoluta e inquestionável: o setor agrícola é imprescindível e não existe qualquer outro capaz de o substituir, já que são os agricultores os fornecedores dos alimentos aos cidadãos e por isso, são uma das classes profissionais que têm de continuar sempre a exercer a sua atividade, porque daí, resulta o abastecimento alimentar necessário e indispensável à sobrevivência de todos.

Desde sempre, que a agricultura é fundamental na sobrevivência da espécie humana no nosso planeta, e é nos períodos de crise profunda e inesperada, como a que estamos a atravessar, que a população acaba por valorizar o setor agrícola e perceber e entender, a importância dos agricultores na sociedade. O mundo moderno em que vivemos, em que os cidadãos se concentraram principalmente nas cidades, abandonando o mundo rural, originou uma nova sociedade de consumo, que criou a falsa ideia de que os alimentos surgem nos supermercados duma forma fácil e simplista e assim, têm de ser adquiridos a preços baixos. Este modelo de sociedade que se deve muito à própria globalização do mundo tem de ser alterada, e quem governa tem de entender que a prioridade das politicas a adotar tem de passar por assegurar uma alimentação saudável e equilibrada aos cidadãos, respeitando sempre vertentes como o ambiente e o bem estar animal.

Como temos assistido e observado nestas últimas semanas, a saúde pública é uma preocupação transversal à comunidade, pelo que, temos de nos precaver e cuidar de nós e das nossas famílias, protegendo-nos de um vírus como o covid-19 que não controlamos e que é invisível, tornando-se assim, num "inimigo" que nos mete medo e nos obriga a alterar o nosso modo de vida, por vezes, com consequências dramáticas.

Mas neste contexto, o agricultor tem de ir trabalhar porque da sua atividade resultam alimentos que têm de chegar ao consumidor, pelo que a agricultura não pára e isso tem de ser reconhecido pelos diferentes agentes das fileiras agrícolas que não podem delapidar os preços dos produtos alimentares ao dispor dos consumidores, porque esta não é a forma de defender ninguém, muito menos quem trabalha diariamente duma forma ininterrupta, faça sol ou faça chuva, para poder corresponder às expectativas de consumo da sociedade.

Para que a comunidade seja mais equitativa e solidária, é fundamental que o agricultor seja cada vez mais valorizado, recebendo o preço justo pelos seus produtos, e se reconheça duma forma ampla e abrangente, a importância da agricultura na sociedade. A pandemia provocada pelo covid-19 trouxe ao mundo uma nova realidade incerta e da qual por muito que se debata e analise, não existe uma previsão clara e objetiva do que vai acontecer realmente no futuro próximo, uma vez que muitos dos nossos comportamentos, irão se alterar devido aos acontecimentos que têm ocorrido nos últimos meses.

No entanto, há uma certeza absoluta e inquestionável: o setor agrícola é imprescindível e não existe qualquer outro capaz de o substituir, já que são os agricultores os fornecedores dos alimentos aos cidadãos e por isso, são uma das classes profissionais que têm de continuar sempre a exercer a sua atividade, porque daí, resulta o abastecimento alimentar necessário e indispensável à sobrevivência de todos.

Desde sempre, que a agricultura é fundamental na sobrevivência da espécie humana no nosso planeta, e é nos períodos de crise profunda e inesperada, como a que estamos a atravessar, que a população acaba por valorizar o setor agrícola e perceber e entender, a importância dos agricultores na sociedade. O mundo moderno em que vivemos, em que os cidadãos se concentraram principalmente nas cidades, abandonando o mundo rural, originou uma nova sociedade de consumo, que criou a falsa ideia de que os alimentos surgem nos supermercados duma forma fácil e simplista e assim, têm de ser adquiridos a preços baixos. Este modelo de sociedade que se deve muito à própria globalização do mundo tem de ser alterada, e quem governa tem de entender que a prioridade das politicas a adotar tem de passar por assegurar uma alimentação saudável e equilibrada aos cidadãos, respeitando sempre vertentes como o ambiente e o bem estar animal.

Como temos assistido e observado nestas últimas semanas, a saúde pública é uma preocupação transversal à comunidade, pelo que, temos de nos precaver e cuidar de nós e das nossas famílias, protegendo-nos de um vírus como o covid-19 que não controlamos e que é invisível, tornando-se assim, num "inimigo" que nos mete medo e nos obriga a alterar o nosso modo de vida, por vezes, com consequências dramáticas.

Mas neste contexto, o agricultor tem de ir trabalhar porque da sua atividade resultam alimentos que têm de chegar ao consumidor, pelo que a agricultura não pára e isso tem de ser reconhecido pelos diferentes agentes das fileiras agrícolas que não podem delapidar os preços dos produtos alimentares ao dispor dos consumidores, porque esta não é a forma de defender ninguém, muito menos quem trabalha diariamente duma forma ininterrupta, faça sol ou faça chuva, para poder corresponder às expectativas de consumo da sociedade.

Para que a comunidade seja mais equitativa e solidária, é fundamental que o agricultor seja cada vez mais valorizado, recebendo o preço justo pelos seus produtos, e se reconheça duma forma ampla e abrangente, a importância da agricultura na sociedade.

A pandemia do covid-19 veio demonstrar a importância da Agricultura na sociedade

Haja coragem para apoiar e acarinhar a Agricultura Açoriana

VI Concurso Micaelense Holstein Frísia de Outono

Os agricultores são quem mais protege o ambiente porque vivem e dependem dele

A melhoria dos rendimentos dos agricultores será sempre a nossa principal preocupação

XVIII Concurso Micaelense da Raça Holstein Frísia

Quando é que acaba a delapidação do setor leiteiro na região?

Reestruturação da fileira do leite tem como objetivo a melhoria dos rendimentos dos produtores

A vinda do Bispo de Angra à A.A.S.M. é mais um sinal de esperança no futuro da Agricultura Açoriana

V Concurso Micaelense Holstein Frísia de Outono

Os Agricultores dos Açores merecem mais

O nosso leite tem de ser mais bem pago

XVII Concurso Micaelense da Raça Holstein Frísia

É urgente a criação de um calendário indicativo das ajudas regionais à agricultura

A fileira do leite necessita de uma estratégia clara e bem definida

2018 tem de ser um ano melhor para a Agricultura Açoriana

IV Concurso Micaelense Holstein Frísia de Outono - uma mostra da excelência dos nossos animais

A vinda do Presidente da República à Associação Agrícola de São Miguel é um sinal de confiança nos Agricultores Açorianos

O discurso dos milhões que se revelam tostões

O sucesso da Agricultura Açoriana passará sempre pela existência de organizações de produtores fortes

Um dos melhores leites do mundo é o mais mal pago da Europa

Uma Santa Páscoa

Mercado Agrícola de Santana: Mais um objetivo atingido

A indústria deve ter um comportamento justo e aumentar o preço de leite à produção

A base da economia dos Açores é e continuará a ser a Agricultura

Próximo Governo Regional deve encarar o setor agrícola como prioritário

Pagamentos por conta: Uma grande injustiça

O futuro da Autonomia dos Açores depende duma Agricultura forte e sustentável

Não desistimos de encontrar soluções satisfatórias para os produtores de leite

Prémio Nacional de Agricultura 2015 para a Cooperativa União Agrícola reconhece o trabalho feito em prol dos agricultores

Confiança num ano melhor