Jorge Rita - Editorial

A indústria deve ter um comportamento justo e aumentar o preço de leite à produção | Editorial Agricultor 2000

Os rendimentos dos produtores de leite nos Açores decresceram acentuadamente nos últimos 2 anos devido às quebras significativas do preço do leite praticados pelas diferentes indústrias, em virtude dos mercados lácteos terem ultrapassado um período de grande volatilidade e instabilidade, decorrentes fundamentalmente, numa primeira fase, do embargo russo aos produtos da União Europeia, e numa segunda fase, devido à abolição das quotas leiteiras e também à diminuição da procura de produtos lácteos mundial, nomeadamente, pela China.

Por outro lado, os efeitos dos mercados lácteos no preço do leite ao produtor em São Miguel, provocou sempre na indústria, uma atitude proactiva nas descidas e resistência nas subidas, por isso, e atendendo à melhoria global dos mercados lácteos iniciada há uns meses, exige-se que a indústria tenha um comportamento justo e que reflita nos produtores, as tendências positivas que têm ocorrido.

O mercado dos produtos lácteos regista uma recuperação dos preços de leite ao produtor, com subidas na grande maioria dos países da União Europeia, tal como na própria Nova Zelândia, tendo-se igualmente, registado nos últimos meses, diminuição na produção de leite na União Europeia.

O leite em pó e a manteiga, que são os produtos sempre referidos pela indústria regional como fundamentais e cruciais, para justificar as alterações dos preços, têm sofrido também, aumentos nos mercados internacionais.

Os sinais e as evidências existem, e são do conhecimento de todos, porque na atualidade, a informação circula rapidamente e está ao dispor dos interessados, pelo que, é factual que existem condições, para que seja reposta competitividade às explorações agropecuárias, através do aumento das suas receitas, indo assim, de encontro às expectativas dos produtores de leite, que são justas e coerentes com a realidade dos mercados lácteos.

O fim dos preços baixos de leite na União Europeia é uma certeza, por isso, no início do próximo ano é legítimo que os produtores sejam contemplados com uma subida do preço do leite.

Esta será a notícia que todos pretendemos, numa quadra festiva que se pretende de harmonia e paz, e onde temos de acreditar e de ter confiança num futuro melhor.

Neste clima de esperança e expectativa, desejamos a todos os associados, agricultores e açorianos um feliz natal e um próspero ano novo.

IV Concurso Micaelense Holstein Frísia de Outono - uma mostra da excelência dos nossos animais

A vinda do Presidente da República à Associação Agrícola de São Miguel é um sinal de confiança nos Agricultores Açorianos

O discurso dos milhões que se revelam tostões

O sucesso da Agricultura Açoriana passará sempre pela existência de organizações de produtores fortes

Um dos melhores leites do mundo é o mais mal pago da Europa

Uma Santa Páscoa

Mercado Agrícola de Santana: Mais um objetivo atingido

A indústria deve ter um comportamento justo e aumentar o preço de leite à produção

A base da economia dos Açores é e continuará a ser a Agricultura

Próximo Governo Regional deve encarar o setor agrícola como prioritário

Pagamentos por conta: Uma grande injustiça

O futuro da Autonomia dos Açores depende duma Agricultura forte e sustentável

Não desistimos de encontrar soluções satisfatórias para os produtores de leite

Prémio Nacional de Agricultura 2015 para a Cooperativa União Agrícola reconhece o trabalho feito em prol dos agricultores

Confiança num ano melhor